Viagens

Adventure Boogies: passeio em Punta Cana

| 13 de abril de 2018

Uma semana em Punta Cana é sinônimo de praia, piscina, calor e morgação? Sim, mas depende! Durante nossa estadia no Hotel Majestic Elegance (tem post aqui contando sobre isso), nós decidimos escolher algum passeio para fazer. Nossa aposta foi o Adventure Boogies, passeio que compramos com a Expedia no lobby do nosso hotel.

O Adventure Boogies está dividido em três partes:

  1. Passeio de boogie por estradas de lama;
  2. Playa Macao;
  3. Caverna azul.

 

Um ônibus da empresa fica responsável por buscar as pessoas no hotel e levá-las até o local de onde saem os boogies. Lá, recebemos todas as instruções e começamos o passeio. Como o trajeto passa por várias estradas de lama, a verdadeira “graça” é se sujar e curtir a bagunça! kkkkkk

Nesse primeiro trecho, fizemos uma parada na Playa Macao. Ela fica próxima das praias onde estão os resorts de Punta Cana, mas é mais deserta e reservada. O mar é igualmente lindo e – óbvio! – rende muitas fotos.

Depois disso, partimos mais uma vez nas estradas de lama com direção a uma espécie de fazenda da região. Ali são produzidos vários tipos de cafés para o público experimentar. Além disso, eles vendem os próprios grãos de café, charutos e chocolates.

Por fim, dentro da fazenda mesmo, visitamos uma caverna azul – que, honestamente, era super artificial, porque tinham luzes azuis dentro d’água. 

No geral, é um passeio bem legal e que compensa pelo custo-benefício, já que são várias atividades em um mesmo passeio (praia, aventura, caverna, fazenda, etc).

No total, pagamos 180 dólares pelo boogie para quatro pessoas e o passeio todo durou aproximadamente quatro horas. Como fechamos o pacote com a Expedia no lobby do hotel, conseguimos um desconto de 20 dólares para o translado do hotel até o aeroporto na hora de pegar o voo de volta. Esse traslado custava 40 dólares originalmente, então acabou saindo pela metade do preço.

Aproveitem para assistir o vlog desse dia super divertido!

Ir para Post

Viagens

7 dias no Majestic Elegance, em Punta Cana

| 25 de março de 2018

Como vocês conferiram nos vlogs (para assistir é só clicar aqui), passamos uma semana em Punta Cana, destino famoso por suas praias paradisíacas na República Dominicana. A região é totalmente voltada para o turismo e abriga diversos resorts no estilo all inclusive, em que você pode comer e beber o que quiser durante toda a sua estadia!

Qual hotel escolhemos? Majestic Elegance.

Quanto tempo ficamos? 7 dias.

Em que época fomos? Janeiro de 2018.

Como é a acomodação? Incrível. Os quartos são grandes, confortáveis, têm TV, frigobar e no nosso tinha até banheira! Nesse vlog aqui, eu fiz um tour rápido pelo quarto e mostrei pra vocês como ele era. Foi ótimo para uma estadia longa como a nossa.

O que tem pra fazer dentro do hotel? O hotel Majestic é dividido em três: Colonial, Elegance e Mirage. Os três reúnem várias atividades que podem ser usufruídas independente do hotel em que você está hospedado.

– Sports bar com telão para assistir jogos;

– Casino;

– Atrações aquáticas, como passeio de caiaque;

– Quadras de tênis e academia;

– Atrações diárias nas áreas comuns (piscina e praia);

– Atrações noturnas (shows e balada).

O que tem para comer? São 6 opções de restaurantes, entre elas a la carte e buffet. Além dos restaurantes, o hotel também tem 11 bares com música ao vivo e piano.

– Flavours: é o restaurante principal e mais completo dentre todos. Funciona no café da manhã, almoço e jantar.

– See and Sea: fica em frente à praia e serve principalmente frutos do mar e peixes. No café da manhã e almoço, a comida é servida no buffet; já no jantar, é a la carte. Durante a tarde, ainda é possível passar por lá para comer snacks variados.

– 9 Doors: o restaurante japonês tem um “quê” diferente: além das mesas com sushi para pegar a vontade, o destaque são as chapas onde um chef cozinha comidas orientais. Funciona apenas no jantar com reserva (para o Sushi Bar, não é necessário).

– El Asadito Steak House Argentinean: restaurante especializado em carnes, apresentando cortes dos Estados Unidos e da Argentina. Funciona apenas no jantar, mas não precisa fazer reserva.

– Il Botaccio: restaurante italiano com várias opções de pratos tradicionais. Abre no café da manhã e almoço para os hóspedes do Elegance Club. Para o restante, funciona apenas no jantar, mas sem reserva.

– Limited Gourmand: restaurante francês, com pianista ao vivo e uma carta de vinhos selecionados. Funciona apenas no jantar com reserva.

Pra fechar: qual foi nossa opinião sobre o Majestic Elegance?

O hotel é melhor do nós esperávamos. As comidas são ótimas (só os doces deixam a desejar), o quarto é confortável, o acesso à praia é fácil e todos os funcionários eram super educados e divertidos com a gente. Foi uma experiência bem legal e com certeza recomendamos esse hotel para quem deseja conhecer Punta Cana!

Clique aqui para conferir mais posts sobre Punta Cana!

Ir para Post

Viagens

Uma tarde em San Marino

| 21 de dezembro de 2017

A República de San Marino é um país pequenininho envolto pela Itália, com apenas 61km². É considerado um dos países mais antigos do mundo e hoje sustenta-se pelo turismo. As atrações da região giram em torno do território montanhoso, incluindo torres, castelos e construções históricas. 

O país é mundialmente conhecido pelo Grande Prêmio de San Marino de Fórmula 1, mas que na verdade é disputado na região italiana de Imola.

Quando fui? Janeiro de 2017 (inverno)

Quanto tempo fiquei na cidade? Meio dia

Como chegar? Fizemos o trajeto Bolonha – San Marino em aproximadamente 1h30 de carro

Para circular por San Marino, deixe seu carro em um dos estacionamentos no começo da cidade e faça todos os passeios a pé. Pouquíssimas ruas permitem o tráfego de veículos, então aproveite para conhecer o centro histórico a pé. 

Quanto aos pontos turísticos, vale a pena conhecer as torres de San Marino, que foram construídas para proteger a cidade de ataques externos. São três torres no total, mas apenas duas estão abertas para visitação: La Rocca La Cesta. O ingresso para visitar a torre custa €4.50 cada.

Outro fator que deixa o pequeno país no radar dos turistas são as compras. O preço de vários coisas é mais barato, já que em San Marino você não precisa pagar o imposto de compra VAT, de 20%, como existe em toda a Itália. 

Aos viajantes que quiserem carimbar o passaporte, San Marino fornece um carimbo simbólico por €5, que pode ser feito no centro turístico.

 

 

Ir para Post

Viagens

5 passeios imperdíveis de Roma

| 2 de novembro de 2017

Roma é a capital da Itália e a maior cidade do país. Além disso, é a única cidade no mundo a ter um país inteiro em seu interior – o Vaticano. Sua história começa há mais de 2.500 anos, quando era conhecida como “A Cidade Eterna” pelos poetas da Roma Antiga. Ao lado de Florença, Roma foi também um dos principais centros do Renascimento italiano, concentrando nomes como Michelangelo, Bramante e Rafael Sanzio. 

Quando fui? Janeiro de 2017 (inverno, 0 grau)

Quanto tempo fiquei na cidade? 3 dias

Onde fiquei hospedada? NH Collection Roma Vittorio Veneto (4 estrelas): ficamos novamente em um hotel da linha NH e mais uma vez estava tudo ótimo! Bem localizado (próximo ao parque Villa Borghese), quartos confortáveis e café da manhã excelente. 

Confira agora as minhas cinco atrações favoritas de Roma – e completamente imperdíveis!

O Pantheon é um edifício circular construído durante o século I. Sua fachada tem grandes colunas de granito, enquanto seu interior tem a maior cúpula de concreto não reforçado do mundo – e detalhe, está lá há mais de dois mil anos! O local é utilizado para realizar celebrações religiosas e abriga os túmulos de dois reis da Itália, Vitor Emanuel II e Humberto I, assim como os restos mortais do artista Rafael Sanzio. 

Onde: Piazza della Rotonda

Quanto: entrada gratuita

Para mais informações, acesse www.rome.info/pantheon

O Coliseu, construído por volta de 80 d.C., era utilizado para espetáculos, combates e execuções. As atrações que ocorriam dentro do anfiteatro concentravam mais de 70 mil pessoas! Porém, o Coliseu perdeu sua função de entretenimento durante a era medieval, quando assumiu um caráter cultural e religioso. O monumento tornou-se símbolo da Roma Antiga e hoje é considerado uma das sete maravilhas do mundo moderno.

A visita por dentro do Coliseu é parada obrigatória em Roma. A sensação de estar em um lugar tão antigo é algo indescritível, sem contar na imensidão do anfiteatro! O passeio pelo interior dá acesso a alguns locais permitidos para visitação comum, mas caso você queira ir além, há tickets que possibilitam a entrada em locais exclusivos do Coliseu.

Onde: Piazza del Colosseo, 1

Quanto: 12 euros – bilhete comum 

Para mais informações, acesse www.il-colosseo.it

Os monumentos históricos são os mais visitados de Roma. O Fórum Romano, por exemplo, abriga ruínas de várias construções do Império Romano. Ele está localizado no vale entre o Monte Palatino e o Monte Capitolino, bem pertinho do Coliseu. Ali funcionava o centro da vida pública, onde realizavam cerimônias, eleições, discursos e até mesmo confrontos. 

Onde: Via della Salara Vecchia, 5/6

Quanto: 12 euros – bilhete comum

Para mais informações, acesse www.il-colosseo.it

A Fontana di Trevi é uma fonte gigantesca construída há mais de três séculos. É um dos maiores símbolos da Itália, então atrai milhões de turistas anualmente para jogar moedas na fonte e fazer um pedido – tradição clássica do local. O mais legal é que essas moedas são constantemente recuperadas e doadas para instituições de caridade. Em 2016, por exemplo, os turistas jogaram mais de 1,4 milhão de euros na fonte! A Fontana também apareceu diversas vezes em filmes, como no clássico La Dolce Vita.

Onde: Piazza di Trevi

Nem sei como descrever o que é conhecer o Vaticano. Ele é o menor país do mundo e funciona como a sede da Igreja Católica. Tem dois lugares bem interessantes pra conhecer por lá: os Museus do Vaticano e a Basílica de São Pedro. Ambos são disputadíssimos e estão sempre lotados, então a dica é simples: chegue cedo! Visite a Basílica antes dos Museus, porque a fila dela costuma aumentar bem mais rápido! Aí depois você acessa os Museus (e compre o ticket antes pela internet). 

Os Museus do Vaticano abrigam várias obras famosas, mas uma em especial chama a atenção e é a principal delas: o teto da Capela Sistina. Ela foi pintada pelos maiores artistas do Renascimento, como Michelangelo, Rafael Sanzio, Bernini e Botticelli. Não é permitido fotografar no local, então o que a gente mais vê são os turistas olhando para o teto vislumbrados. É lindo demais!

A Basílica de São Pedro é apenas a maior Igreja do mundo! Foi construída entre os séculos XVI e XVII sob os comandos do arquiteto Donato Bramante. Seu nome foi dado em homenagem a São Pedro, o primeiro papa da história, cujos restos mortais estão enterrados na própria basílica. Ela é absurdamente grande e pode ocupar mais de 60 mil pessoas, principalmente nos dias que o Papa celebra liturgias importantes. 

Onde: Piazza San Pietro

Quanto: A entrada na basílica é gratuita. O ticket para acessar os museus custa 16 euros (bilhete comum).

Para mais informações, acesse www.museivaticani.va

Leia mais posts sobre a Itália clicando aqui!

Ir para Post

Viagens

Diário de viagem: Veneza

| 24 de julho de 2017

Veneza é parada obrigatória se você está conhecendo a Itália. São mais de 100 pequenas ilhas rodeadas de canais e conectadas por pontes, formando uma das cidades mais famosas do mundo. Como a água está por toda parte, é impossível circular pela cidade de carro. O trajeto é feito a pé, de gôndola ou de vaporetto.

Quando fui? Dezembro de 2016 (inverno, média de 0 grau)

Quanto tempo fiquei na cidade? Um dia

Onde fiquei hospedada? Smart Hotel Holiday

O hotel era bom e ficava na cidade de Mestre. Optamos por ficar fora do centro de Veneza, já que estávamos com bastante bagagem e todo o percurso dentro da cidade é feito a pé. Para irmos a Veneza, pegávamos um trem até o começo da cidade (onde ainda passam carros) e de lá pegávamos o vaporetto, que eu explicarei como funciona mais pra frente. De modo geral, você deve considerar suas preferências, tempo de viagem e budget. Ficar dentro de Veneza é mais caro e trabalhoso também, mas sem dúvidas deve ser uma experiência bem legal.

O QUE FAZER EM VENEZA?

O charme da cidade deve-se quase que 100% aos canais por onde transitam as gôndolas, que tornaram-se um ícone de Veneza. Dizem que você não conhece a cidade de verdade se não passear de gôndola, mas vale ressaltar que é caro. Até mesmo em baixa temporada, um passeio de uma hora, para um casal, não sai por menos de 80 euros. Eu, por exemplo, não sou muito fã de barcos e afins, então não fiz questão nenhuma de passear de gôndola e consegui curtir a cidade da mesma forma. Entretanto, é algo que você deve considerar incluir no seu orçamento caso tenha vontade de fazer o passeio. 

A Ponte de Rialto é a mais famosa de Veneza, situada acima do Grande Canal. Foi construída no século XVI e, além de servir como uma passagem, possui diversos comércios nas suas laterais. 

Outra ponte famosa da cidade é a Ponte dei Sospiri, que fica pertinho da Piazza San Marco e foi construída em 1600. Reza a lenda que a ponte tem esse nome porque os prisioneiros atravessavam-na e suspiravam ao ver o mundo externo pela última vez, já que a ponte liga o Palazzo Ducale à Prigioni Nove, um edifício utilizado como prisão no passado.

A Basílica de São Marcos é uma igreja gigantesca localizada na Piazza San Marco, a principal praça de Veneza. O estilo bizantino caracteriza a construção que já possui mais de mil anos e atrai milhares de turistas todos os dias. Além da visita ao interior da igreja, pode-se também conhecer a Bell Tower, torre ao seu lado.

Endereço: Piazza San Marco.

Horário de funcionamento: 

– junho a novembro: 9h45 às 17h (domingos das 14h às 17h).

– novembro a junho: 9h30 às 17h (domingos das 14h às 16h30). 

Preço: entrada gratuita para visitar a Igreja. 

Para mais informações, acesse o site oficialwww.basilicasanmarco.it

Um dos pontos turísticos mais importantes de Veneza é o Palazzo Ducale. Também está na Piazza San Marco e foi construído por volta do século XIV. Hoje, funciona como um museu, reunindo obras e móveis de época. 

Endereço: Piazza San Marco.

Horário de funcionamento: 

– abril a outubro: 8h30 às 19h.

– novembro a março: 8h30 às 17h30.

Preço: tickets a partir de 20 euros.

Para mais informações, acesse o site oficialwww.palazzoducale.visitmuve.it

O começo da cidade de Veneza fica longe de seu centro turístico, ou seja, da Piazza San Marco. Por causa disso, muitos turistas usam o vaporetto, um barco especializado em fazer o transporte de passageiros ao longo dos canais. São diversas linhas que conectam as ilhas de Veneza, assim como outras da região, como Murano e Burano. 

O preço do bilhete do vaporetto é de €7,50 e dura uma hora, então você pode embarcar e desembarcar quantas vezes quiser nesse período de tempo. Caso você tenha planos de fazer várias viagens pela ilha em horários ou até mesmo dias diferentes, sugiro que compre um passe especial. O bilhete para 24 horas (um dia) custa €20, para dois dias custa €30, para três dias custa €40 e para uma semana custa €60.

Para mais informações, acesse o site oficialwww.actv.avmspa.it

Facilidades à parte, acho legal ressaltar que Veneza é uma cidade incrível para se conhecer a pé! Perder-se pelas ruelas, pontes e ilhas é o que a torna tão interessante e pitoresca. 

Clique aqui para acessar mais posts da minha viagem à Itália!

Ir para Post