Viagens

5 passeios imperdíveis de Roma

| 2 de novembro de 2017

Roma é a capital da Itália e a maior cidade do país. Além disso, é a única cidade no mundo a ter um país inteiro em seu interior – o Vaticano. Sua história começa há mais de 2.500 anos, quando era conhecida como “A Cidade Eterna” pelos poetas da Roma Antiga. Ao lado de Florença, Roma foi também um dos principais centros do Renascimento italiano, concentrando nomes como Michelangelo, Bramante e Rafael Sanzio. 

Quando fui? Janeiro de 2017 (inverno, 0 grau)

Quanto tempo fiquei na cidade? 3 dias

Onde fiquei hospedada? NH Collection Roma Vittorio Veneto (4 estrelas): ficamos novamente em um hotel da linha NH e mais uma vez estava tudo ótimo! Bem localizado (próximo ao parque Villa Borghese), quartos confortáveis e café da manhã excelente. 

Confira agora as minhas cinco atrações favoritas de Roma – e completamente imperdíveis!

O Pantheon é um edifício circular construído durante o século I. Sua fachada tem grandes colunas de granito, enquanto seu interior tem a maior cúpula de concreto não reforçado do mundo – e detalhe, está lá há mais de dois mil anos! O local é utilizado para realizar celebrações religiosas e abriga os túmulos de dois reis da Itália, Vitor Emanuel II e Humberto I, assim como os restos mortais do artista Rafael Sanzio. 

Onde: Piazza della Rotonda

Quanto: entrada gratuita

Para mais informações, acesse www.rome.info/pantheon

O Coliseu, construído por volta de 80 d.C., era utilizado para espetáculos, combates e execuções. As atrações que ocorriam dentro do anfiteatro concentravam mais de 70 mil pessoas! Porém, o Coliseu perdeu sua função de entretenimento durante a era medieval, quando assumiu um caráter cultural e religioso. O monumento tornou-se símbolo da Roma Antiga e hoje é considerado uma das sete maravilhas do mundo moderno.

A visita por dentro do Coliseu é parada obrigatória em Roma. A sensação de estar em um lugar tão antigo é algo indescritível, sem contar na imensidão do anfiteatro! O passeio pelo interior dá acesso a alguns locais permitidos para visitação comum, mas caso você queira ir além, há tickets que possibilitam a entrada em locais exclusivos do Coliseu.

Onde: Piazza del Colosseo, 1

Quanto: 12 euros – bilhete comum 

Para mais informações, acesse www.il-colosseo.it

Os monumentos históricos são os mais visitados de Roma. O Fórum Romano, por exemplo, abriga ruínas de várias construções do Império Romano. Ele está localizado no vale entre o Monte Palatino e o Monte Capitolino, bem pertinho do Coliseu. Ali funcionava o centro da vida pública, onde realizavam cerimônias, eleições, discursos e até mesmo confrontos. 

Onde: Via della Salara Vecchia, 5/6

Quanto: 12 euros – bilhete comum

Para mais informações, acesse www.il-colosseo.it

A Fontana di Trevi é uma fonte gigantesca construída há mais de três séculos. É um dos maiores símbolos da Itália, então atrai milhões de turistas anualmente para jogar moedas na fonte e fazer um pedido – tradição clássica do local. O mais legal é que essas moedas são constantemente recuperadas e doadas para instituições de caridade. Em 2016, por exemplo, os turistas jogaram mais de 1,4 milhão de euros na fonte! A Fontana também apareceu diversas vezes em filmes, como no clássico La Dolce Vita.

Onde: Piazza di Trevi

Nem sei como descrever o que é conhecer o Vaticano. Ele é o menor país do mundo e funciona como a sede da Igreja Católica. Tem dois lugares bem interessantes pra conhecer por lá: os Museus do Vaticano e a Basílica de São Pedro. Ambos são disputadíssimos e estão sempre lotados, então a dica é simples: chegue cedo! Visite a Basílica antes dos Museus, porque a fila dela costuma aumentar bem mais rápido! Aí depois você acessa os Museus (e compre o ticket antes pela internet). 

Os Museus do Vaticano abrigam várias obras famosas, mas uma em especial chama a atenção e é a principal delas: o teto da Capela Sistina. Ela foi pintada pelos maiores artistas do Renascimento, como Michelangelo, Rafael Sanzio, Bernini e Botticelli. Não é permitido fotografar no local, então o que a gente mais vê são os turistas olhando para o teto vislumbrados. É lindo demais!

A Basílica de São Pedro é apenas a maior Igreja do mundo! Foi construída entre os séculos XVI e XVII sob os comandos do arquiteto Donato Bramante. Seu nome foi dado em homenagem a São Pedro, o primeiro papa da história, cujos restos mortais estão enterrados na própria basílica. Ela é absurdamente grande e pode ocupar mais de 60 mil pessoas, principalmente nos dias que o Papa celebra liturgias importantes. 

Onde: Piazza San Pietro

Quanto: A entrada na basílica é gratuita. O ticket para acessar os museus custa 16 euros (bilhete comum).

Para mais informações, acesse www.museivaticani.va

Leia mais posts sobre a Itália clicando aqui!

Ir para Post

Viagens

Diário de viagem: Veneza

| 24 de julho de 2017

Veneza é parada obrigatória se você está conhecendo a Itália. São mais de 100 pequenas ilhas rodeadas de canais e conectadas por pontes, formando uma das cidades mais famosas do mundo. Como a água está por toda parte, é impossível circular pela cidade de carro. O trajeto é feito a pé, de gôndola ou de vaporetto.

Quando fui? Dezembro de 2016 (inverno, média de 0 grau)

Quanto tempo fiquei na cidade? Um dia

Onde fiquei hospedada? Smart Hotel Holiday

O hotel era bom e ficava na cidade de Mestre. Optamos por ficar fora do centro de Veneza, já que estávamos com bastante bagagem e todo o percurso dentro da cidade é feito a pé. Para irmos a Veneza, pegávamos um trem até o começo da cidade (onde ainda passam carros) e de lá pegávamos o vaporetto, que eu explicarei como funciona mais pra frente. De modo geral, você deve considerar suas preferências, tempo de viagem e budget. Ficar dentro de Veneza é mais caro e trabalhoso também, mas sem dúvidas deve ser uma experiência bem legal.

O QUE FAZER EM VENEZA?

O charme da cidade deve-se quase que 100% aos canais por onde transitam as gôndolas, que tornaram-se um ícone de Veneza. Dizem que você não conhece a cidade de verdade se não passear de gôndola, mas vale ressaltar que é caro. Até mesmo em baixa temporada, um passeio de uma hora, para um casal, não sai por menos de 80 euros. Eu, por exemplo, não sou muito fã de barcos e afins, então não fiz questão nenhuma de passear de gôndola e consegui curtir a cidade da mesma forma. Entretanto, é algo que você deve considerar incluir no seu orçamento caso tenha vontade de fazer o passeio. 

A Ponte de Rialto é a mais famosa de Veneza, situada acima do Grande Canal. Foi construída no século XVI e, além de servir como uma passagem, possui diversos comércios nas suas laterais. 

Outra ponte famosa da cidade é a Ponte dei Sospiri, que fica pertinho da Piazza San Marco e foi construída em 1600. Reza a lenda que a ponte tem esse nome porque os prisioneiros atravessavam-na e suspiravam ao ver o mundo externo pela última vez, já que a ponte liga o Palazzo Ducale à Prigioni Nove, um edifício utilizado como prisão no passado.

A Basílica de São Marcos é uma igreja gigantesca localizada na Piazza San Marco, a principal praça de Veneza. O estilo bizantino caracteriza a construção que já possui mais de mil anos e atrai milhares de turistas todos os dias. Além da visita ao interior da igreja, pode-se também conhecer a Bell Tower, torre ao seu lado.

Endereço: Piazza San Marco.

Horário de funcionamento: 

– junho a novembro: 9h45 às 17h (domingos das 14h às 17h).

– novembro a junho: 9h30 às 17h (domingos das 14h às 16h30). 

Preço: entrada gratuita para visitar a Igreja. 

Para mais informações, acesse o site oficialwww.basilicasanmarco.it

Um dos pontos turísticos mais importantes de Veneza é o Palazzo Ducale. Também está na Piazza San Marco e foi construído por volta do século XIV. Hoje, funciona como um museu, reunindo obras e móveis de época. 

Endereço: Piazza San Marco.

Horário de funcionamento: 

– abril a outubro: 8h30 às 19h.

– novembro a março: 8h30 às 17h30.

Preço: tickets a partir de 20 euros.

Para mais informações, acesse o site oficialwww.palazzoducale.visitmuve.it

O começo da cidade de Veneza fica longe de seu centro turístico, ou seja, da Piazza San Marco. Por causa disso, muitos turistas usam o vaporetto, um barco especializado em fazer o transporte de passageiros ao longo dos canais. São diversas linhas que conectam as ilhas de Veneza, assim como outras da região, como Murano e Burano. 

O preço do bilhete do vaporetto é de €7,50 e dura uma hora, então você pode embarcar e desembarcar quantas vezes quiser nesse período de tempo. Caso você tenha planos de fazer várias viagens pela ilha em horários ou até mesmo dias diferentes, sugiro que compre um passe especial. O bilhete para 24 horas (um dia) custa €20, para dois dias custa €30, para três dias custa €40 e para uma semana custa €60.

Para mais informações, acesse o site oficialwww.actv.avmspa.it

Facilidades à parte, acho legal ressaltar que Veneza é uma cidade incrível para se conhecer a pé! Perder-se pelas ruelas, pontes e ilhas é o que a torna tão interessante e pitoresca. 

 

Clique aqui para acessar mais posts da minha viagem à Itália!

Ir para Post

Viagens

Diário de Viagem: Milão

| 9 de julho de 2017

Milão, uma das principais capitais do mundo, fez parte do nosso roteiro turístico pela Itália. Ficamos três dias por lá, sendo que em um deles comemoramos a noite de Natal. 

Quando fui? Dezembro de 2016 (inverno, média de 5 graus).

Quanto tempo fiquei na cidade? Três dias.

Onde fiquei hospedada? NH Milano Touring.

OBS: A rede NH é excelente! O hotel tem 4 estrelas, o quarto é impecável e o café da manhã é maravilhoso! Já ficamos várias vezes, inclusive em outros países. Recomendo muito!
 

O QUE FAZER EM MILÃO?

 

O Castelo Sforzesco foi construído em meados do século XIV e leva esse nome em homenagem à família Sforza, que governava Milão no século XVI. Muito mais que um castelo, o local ainda abriga museus e bibliotecas, agregando um valor cultural à cidade. Entre os artistas que possuem suas obras expostas por ali, pode-se destacar Da Vinci e Michelangelo.

Endereço: Piazza Castello.

Horário de funcionamento:

– Castelo: todos os dias, das 7h às 19h30.

– Museus: de terça-feira a domingo, das 9h às 17h30.

Preço:

– Castelo: entrada gratuita.

– Museus: 5 euros (entrada gratuita de terça-feira após 14h ou de quarta-feira a domingo 1h antes do fechamento). 

Para mais informações, acesse o site oficialwww.milanocastello.it

A igreja Santa Maria delle Grazie é mundialmente famosa por um pintura icônica: “A última ceia”, de Leonardo da Vinci, foi pintada na parede do refeitório do convento. Ela representa a cena da última ceia de Jesus com seus Apóstolos, antes de ser preso e crucificado como descreve a Bíblia. Considerada um dos patrimônios mundiais pela UNESCO, a Igreja foi fortemente bombardeada durante a Segunda Guerra Mundial, mas a parede onde está a pintura permaneceu intacta pois havia sido protegida por sacos de areia.

Endereço: Piazza di Santa Maria delle Grazie.

Horário de funcionamento: De terça a domingo, das 8h15 às 19h.

Preço: 10 euros + 2 euros de taxa de reserva (a visita deve ser agendada pelo site com meses de antecedência).

Para mais informações, acesse o site oficialwww.cenacolo.it

A construção da Duomo di Milano começou em 1386 e terminou apenas no século XIX. A catedral  católica tem um estilo gótico e é muito conhecida por suas torres pontiagudas. Dentro da Igreja, é possível conhecer a cripta de Charles Borromeo (arcebispo de Milão no século XVI), visitar uma área arqueológica e até mesmo subir ao seu terraço, de onde pode-se observar a cidade toda.

Endereço: Piazza del Duomo.

Horário de funcionamento: 

– Catedral: todos os dias, das 8h às 19h.

– Cripta de St. Charles: de segunda à sexta, das 11h às 17h30; aos sábados, das 11h às 17h; e aos domingos, das 13h30 às 15h30.

– Área arqueológica: todos os dias, das 9h às 19h.

– Terraço: todos os dias, das 9h às 17h.

Preço:

– Ticket de 3 euros inclui visita à catedral, museu da Duomo e igreja de San Gottardo in Corte.

– Ticket de 7 euros inclui visita à catedral, museu da Duomo, igreja de San Gottardo in Corte e área arqueológica.

– Terraço: 9 euros (para subir a pé) e 13 euros (para subir de elevador).

Para mais informações, acesse o site oficialwww.duomomilano.it

Na mesma praça em que está a Duomo di Milano, encontra-se a famosa Galleria Vittorio Emanuele II. Inaugurada em 1877, a galeria foi desenhada por Giuseppe Mengoni, que morreu tragicamente ao cair de um andaime antes da finalização das obras. Ela é considerada um dos primeiros shoppings do mundo e desde seu início abriga restaurantes, cafés e lojas de artigos de luxo – como a Prada, uma das primeiras a abrir no local.

O nome da galeria é em homenagem a Vítor Emanuel II, primeiro rei da Itália após sua unificação em 1861. A galeria também funciona como uma passagem entre a Piazza del Duomo (onde está a catedral) e a Piazza della Scala (onde está o Teatro alla Scala).

Reza a lenda que o local possui uma simpatia para dar sorte. Bem no centro da galeria, no encontro das vias, há os brasões das cidades de Milão, Turim, Florença e Roma. No de Turim encontra-se um touro, e a tradição manda pisar com o calcanhar do pé direito sobre a genitália do touro e girar três vezes sobre ele. O ritual é repetido milhares de vezes todos os dias por turistas que passam pelo local.

Endereço: Piazza del Duomo.

Para mais informações, acesse o site oficialwww.ingalleria.com

 

Milão é uma das principais capitais da moda do mundo, que esbanja luxo, sofisticação e glamour. Tem uma área na cidade conhecida como “quadrilátero da moda”, levando esse nome porque é uma junção de quatro ruas: Via della Spiga, Via Montenapoleone, Via Manzoni e Corso Venezia. Juntas, formam um retângulo repleto de lojas de grife, como Gucci, Valentino, Versace, entre outras.

 

O estádio Giuseppe Meazza, mais conhecido como San Siro, é a casa dos times F. C. Internazionale Milano (“Inter”) e A. C. Milan (“Milan”) e tem capacidade para mais de 80.000 torcedores. Dentro do estádio, há um museu com itens históricos de ambos os times, como troféus, camisas, bolas, chuteiras, entre outras lembranças. 

Endereço: Piazzale Angelo Moratti. 

Horário de funcionamento: todos os dias, das 9h30 às 18h.

Preço: 17 euros para o passeio pelo estádio e museu.

Para mais informações, acesse o site oficialwww.sansiro.net

 

O Teatro alla Scala é uma das mais famosas casas de ópera do mundo. Foi inaugurada em 1778 e até hoje possui um calendário repleto de apresentações. Os turistas que têm interesse em assistir uma apresentação, devem acessar o site com meses de antecedência para comprar os ingressos, que custam entre 20 e 180 euros.

Endereço: Piazza della Scala.

Para mais informações, acesse o site oficialwww.teatroallascala.org

Clique aqui para acessar mais posts da minha viagem à Itália!

Ir para Post

Viagens

5 fotos de Portofino que farão você se apaixonar!

| 16 de abril de 2017

Antes de conhecer a Itália, eu sempre olhava fotos dos lugares que queria visitar… Um deles era Portofino, que tem uma beleza absurda. Quando conseguimos incluir a região no roteiro, eu mal conseguia acreditar que ia ver de pertinho esse lugar que tanto me encantava só por fotos.

E sim, Portofino é lindo! As casinhas coloridas são uma graça e o visual no geral é lindo, principalmente no meio da tarde, horário que eu passei por lá.

 

Quando fui? Dezembro de 2016 (inverno, média de 5 graus)
 
Quanto tempo fiquei na cidade? Umas 2 horas (acredito que seja o suficiente no inverno, mas caso você vá no verão, acho legal curtir com calma, porque aquela região tem várias praias legais)

Ir para Post

Viagens

Diário de Viagem: Pisa

| 16 de fevereiro de 2017

Pisa é uma pequena cidade localizada na Toscana, a poucas horas de Florença. A grande atração da cidade é a Torre de Pisa, a famosa torre inclinada.

Quando fui? Dezembro de 2016 (inverno, 5 graus)

Quanto tempo fiquei na cidade? Aproximadamente 2 horas

Como chegar? Fui de carro partindo de Florença (aproximadamente 100km)

 

O QUE FAZER EM PISA?


A grande atração da cidade é a Piazza dei Miracoli, onde estão os pontos turísticos mais interessantes e que você deve conhecer. A Torre de Pisa é o cartão postal da cidade, senão da Itália! Conhecida também por Campanile de Santa Maria, a torre começou a ser construída no início do século 12 em um terreno de argila e areia. Isso explica a inclinação do edifício, que desde sempre apresentou essa particularidade. 


É possível subir na torre em um passeio que dura cerca de 30 minutos. O bilhete custa 18 euros e do topo há uma bela vista da cidade. 


Ainda na mesma praça da torre, você pode visitar a Duomo di Santa Maria Assunta, igreja principal de Pisa. Ela foi construída há quase mil anos (!) e foi dedicada à Virgem Maria. A entrada é grátis. 

Clique aqui para acessar mais posts da minha viagem à Itália!

Ir para Post