Tag Archives: slider

#BaReforma: FIZ A GERAL NO MEU QUARTO

Já faz um tempo que eu queria reformar meu quarto. A decoração estava um pouco diferente do meu estilo, então eu aproveitei pra mudar muitas coisas e dar uma cara nova pro meu cantinho. Mudei a cor da parede, coloquei uma penteadeira, troquei de lustre… E no fim ficou do jeitinho que eu queria! Nos vlogs vocês vão ver como foi todo esse processo até o resultado final!

Todo mundo ama um cupom de desconto, né? Então se você quer comprar itens com um precinho mais bacana, você precisa acessar o www.cupomvalido.com.br! O site tem uma infinidade de lojas parceiras com muitos cupons de descontos, inclusive voltadas para o ramo da decoração, como a Westwing, que mencionei em um dos episódios da reforma =)

Diário de viagem: Veneza

Veneza é parada obrigatória se você está conhecendo a Itália. São mais de 100 pequenas ilhas rodeadas de canais e conectadas por pontes, formando uma das cidades mais famosas do mundo. Como a água está por toda parte, é impossível circular pela cidade de carro. O trajeto é feito a pé, de gôndola ou de vaporetto.
 
Quando fui? Dezembro de 2016 (inverno, média de 0 grau)
 
Quanto tempo fiquei na cidade? Um dia
 
Onde fiquei hospedada? Smart Hotel Holiday

O hotel era bom e ficava na cidade de Mestre. Optamos por ficar fora do centro de Veneza, já que estávamos com bastante bagagem e todo o percurso dentro da cidade é feito a pé. Para irmos a Veneza, pegávamos um trem até o começo da cidade (onde ainda passam carros) e de lá pegávamos o vaporetto, que eu explicarei como funciona mais pra frente. De modo geral, você deve considerar suas preferências, tempo de viagem e budget. Ficar dentro de Veneza é mais caro e trabalhoso também, mas sem dúvidas deve ser uma experiência bem legal.
 
O QUE FAZER EM VENEZA?
 
 
O charme da cidade deve-se quase que 100% aos canais por onde transitam as gôndolas, que tornaram-se um ícone de Veneza. Dizem que você não conhece a cidade de verdade se não passear de gôndola, mas vale ressaltar que é caro. Até mesmo em baixa temporada, um passeio de uma hora, para um casal, não sai por menos de 80 euros. Eu, por exemplo, não sou muito fã de barcos e afins, então não fiz questão nenhuma de passear de gôndola e consegui curtir a cidade da mesma forma. Entretanto, é algo que você deve considerar incluir no seu orçamento caso tenha vontade de fazer o passeio.
 
 
A Ponte de Rialto é a mais famosa de Veneza, situada acima do Grande Canal. Foi construída no século XVI e, além de servir como uma passagem, possui diversos comércios nas suas laterais. 


 
Outra ponte famosa da cidade é a Ponte dei Sospiri, que fica pertinho da Piazza San Marco e foi construída em 1600. Reza a lenda que a ponte tem esse nome porque os prisioneiros atravessavam-na e suspiravam ao ver o mundo externo pela última vez, já que a ponte liga o Palazzo Ducale à Prigioni Nove, um edifício utilizado como prisão no passado.
 
 
A Basílica de São Marcos é uma igreja gigantesca localizada na Piazza San Marco, a principal praça de Veneza. O estilo bizantino caracteriza a construção que já possui mais de mil anos e atrai milhares de turistas todos os dias. Além da visita ao interior da igreja, pode-se também conhecer a Bell Tower, torre ao seu lado.
 
Endereço: Piazza San Marco.
 
Horário de funcionamento: 
– junho a novembro: 9h45 às 17h (domingos das 14h às 17h).
– novembro a junho: 9h30 às 17h (domingos das 14h às 16h30).
 
Preço: entrada gratuita para visitar a Igreja. 
 
Para mais informações, acesse o site oficialwww.basilicasanmarco.it
 



Um dos pontos turísticos mais importantes de Veneza é o Palazzo Ducale. Também está na Piazza San Marco e foi construído por volta do século XIV. Hoje, funciona como um museu, reunindo obras e móveis de época. 
 
Endereço: Piazza San Marco.
 
Horário de funcionamento: 
– abril a outubro: 8h30 às 19h.
– novembro a março: 8h30 às 17h30.
 
Preço: tickets a partir de 20 euros.
 
Para mais informações, acesse o site oficialwww.palazzoducale.visitmuve.it


 
O começo da cidade de Veneza fica longe de seu centro turístico, ou seja, da Piazza San Marco. Por causa disso, muitos turistas usam o vaporetto, um barco especializado em fazer o transporte de passageiros ao longo dos canais. São diversas linhas que conectam as ilhas de Veneza, assim como outras da região, como Murano e Burano. 
 
O preço do bilhete do vaporetto é de €7,50 e dura uma hora, então você pode embarcar e desembarcar quantas vezes quiser nesse período de tempo. Caso você tenha planos de fazer várias viagens pela ilha em horários ou até mesmo dias diferentes, sugiro que compre um passe especial. O bilhete para 24 horas (um dia) custa €20, para dois dias custa €30, para três dias custa €40 e para uma semana custa €60.
 
Para mais informações, acesse o site oficialwww.actv.avmspa.it
Facilidades à parte, acho legal ressaltar que Veneza é uma cidade incrível para se conhecer a pé! Perder-se pelas ruelas, pontes e ilhas é o que a torna tão interessante e pitoresca.
 
ONDE COMER EM VENEZA?
 
Para conferir minhas dicas de restaurantes em Veneza, acesse o post Onde comer em Veneza.
 
 
 
TODAS AS FOTOS PRESENTES EM MEUS POSTS SOBRE VIAGENS SÃO AUTORAIS. CASO VOCÊ QUEIRA UTILIZAR ALGUMA DELAS, NÃO ESQUEÇA DE DAR OS CRÉDITOS!
 

Bráz Elettrica, a novidade da pizza paulistana

O estilo descontraído da Bráz Elettrica me conquistou de primeira. Antes mesmo da casa ser inaugurada em São Paulo, no fim de junho, eu já acompanhava os preparativos pelo Instagram e sabia que não demoraria muito pra conhecer a novidade da pizza paulistana.
Considerada como a irmã “moderninha” da Bráz, tradicional pizzaria que possui várias casas aqui em São Paulo, em Campinas e no Rio de Janeiro, a Bráz Elettrica abre suas portas trazendo um conceito totalmente novo para as pizzarias da capital. 
As pizzas são individuais e não há talheres. Como não há garçons, o pedido é feito no caixa e o cliente espera ser chamado para retirar sua pizza. Existem algumas mesas no piso superior, assim como balcões compartilhados no térreo. O clima informal é outro ponto positivo da casa. A música é boa e a decoração é inusitada, misturando elementos do rock, pop e, claro, da gastronomia.
O nome da casa foi inspirado no forno elétrico utilizado para assar as pizzas, fabricado artesanalmente em Nápoles. Em apenas 90 segundos, temos uma pizza leve, crocante e muito saborosa. Todas as receitas foram criadas por Anthony Falco, que já trabalhou em uma das principais pizzarias de Nova York e trouxe a pegada urbana e descontraída da cidade para suas criações.
Pedi a clássica margherita, que é feita com três queijos (búfala, mozzarella e grana padano), além de molho e manjericão. Estava deliciosa! Todas as pizzas custam entre R$25 e R$30 e são individuais, sendo perfeitas pra comer com a mão. Além disso, a casa também possui opções de entrada, salada e sobremesa, como o clássico tiramisù.
Quanto às bebidas, o grande destaque é a cerveja da casa. A Elettrica custa R$9 e foi encomendada para a microcervejaria Blondine. Sua produção é artesanal e foi criada especialmente para combinar com as pizzas, pois tem um sabor leve e amargor equilibrado.
Endereço: Rua dos Pinheiros, 220 – Pinheiros, São Paulo – SP
A Bráz Elettrica funciona todos os dias, inclusive no horário do almoço – quem disse que pizza é só no jantar, né? Provei e agora recomendo demais!