Beleza

Quais são os limites da beleza?

| 18 de novembro de 2019

Por Paula Pimentel

No final do mês de outubro, as redes sociais se encheram de fotos da influenciadora e cantora Tainá Costa. A jovem de apenas 21 anos passou por dois procedimentos estéticos, porém o que mais chamou a atenção foi a cirurgia ainda pouco conhecida do público: Lipoescultura de alta definição – a LAD, uma espécie de lipoaspiração que prioriza os desenhos dos músculos na região abdominal, o que deixa o corpo com aspecto malhado, sem a necessidade da prática de exercícios. As fotos com os resultados circularam pelas redes sociais e acenderam a questão: quais os limites entre beleza como bem-estar e beleza como a busca por um padrão estético?

A busca pelo corpo perfeito não é uma discussão recente. Ao longo da história sempre se buscou um padrão de beleza que nem sempre é algo alcançável. Quando se trata da era da internet, o assunto se torna ainda mais grave, pois está relacionado com as redes sociais, onde há o compartilhamento de imagens. 

Influenciadores tem como principal instrumento de trabalho o corpo, que precisa estar sempre em forma para conseguir os melhores cliques. O procedimento que a Tainá passou não custa menos do que R$ 30 mil, valor bem elevados pensando que os seguidores da jovem queiram atingir os mesmos resultados, tudo isso sem um estudo e sem muito conhecimento. 

“Corpo malhado sem a prática de exercícios”, a definição que parece um sonho para muitos coloca o sinal amarelo para a beleza que não é necessariamente saudável. Que fique claro que a atenção deve ser redobrada não apenas para a LAD e sim para qualquer procedimento que envolva mudanças no corpo apenas por beleza, por estética e o mercado livre oferece uma infinidade de cirurgias de forma desenfreada se aproveitando da busca pelo “ideal”.

Imagens da cirurgia de Tainá

Ir para Post

Beleza

A superfície da minha pele

| 16 de novembro de 2019

Por Elizabeth Matravolgyi

São cinco horas da manhã. Acordo. Levanto. Vou até o banheiro e me olho no espelho. Volto para cama. O corpo cansado e a dificuldade de olhar o meu reflexo me fazem querer ficar na cama o dia todo. Mas, aí, penso. O que vão pensar? Das marcas vermelhas e inchadas no meu rosto. 

Levanto novamente. Dessa vez mais rápido e menos cansada. Me olho de novo no espelho. Ah, não tem o que fazer. Começo sentindo dores. Cada ponto uma dor. Uma dor que vem de fora para dentro e de dentro para fora. 

Passo diversas pomadas que fazem a minha pele arder. É uma ardência boa. Sinto que precisa doer para ir embora. Começo passando o primer. Afinal, sem ele todo esse reboco derrete antes mesmo de sair de casa. Passo a primeira camada de base. Tento passar com a mão leve, pois o meu rosto ainda dói. 

Passo a segunda e a terceira camada. Passo nas bochechas, testa e pescoço. Peço para a minha mãe passar nas minhas costas também. Está calor e quero usar minha blusa regata. 

São seis horas. E ainda nem está na metade do processo. Passo o corretivo. Três tipos diferentes para diferentes partes da minha pele. Uso um pincel fino e passo como se fosse uma tinta em uma tela. 

Depois vem o pó, contorno, blush, sombra, delineado, iluminador, rímel e cílios postiços. Acerto a sobrancelha, passo um pouco mais de pó e finalizo com um batom. 

Ufa! São sete horas da manhã. Tomo o café com canudo para não borrar o batom e coloco o uniforme da escola com muito cuidado para não manchar a minha roupa. 

Me olho no espelho novamente, antes de sair, e me sinto igual a quando acordei. Mas, agora, sinto que vou ser aceita pela pessoas do colégio. E, isso, me faz querer sair de casa.

Ir para Post

Beleza

Dezembro é laranja, mas a proteção tem que ser o ano todo

| 14 de novembro de 2019

Por Marcella Costa

Com tantas opções de produtos para cuidar da pele, esquecemos do principal e o mais essencial de todos: o protetor. Além de serem ótimos hidratantes, eles também são as melhores opções para prevenir manchas e o câncer de pele. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), em média é registrado 181 mil novos casos de câncer de pele por ano. Entre os tipos mais comuns estão o carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e o mais grave deles, o melanoma. 

Desde de 2014,  a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) iniciou o movimento Dezembro Laranja para conscientizar a população e estimular a prevenção. Em prol da causa, hoje vou falar sobre os meus dois aliados que não saem da minha bolsa por nada: o protetor da Avène, para o rosto, e o da Vichy, para o corpo. 

Assim como é importante testar qual a melhor base para a nossa pele, com os protetores não pode ser diferente! Confesso que adoro experimentar protetor e testar para ver qual se adapta melhor a minha pele, e esses últimos meses o Mat Perfect da Avène para o rosto conquistou meu coração. Por ser feito a base de água, esse protetor é bem líquido, porém tem um efeito mate perfeito, ou seja, deixa a pele bem sequinha. 

Ele também é um complexo antioxidante: enquanto protege contra os raios UVB e UVA da pele, esse protetor estimula a produção de vitamina C e E. Para quem gosta de protetor com cor, a marca possui algumas opções de tons, além de outros fatores como o 50 e 70. Ao longo do dia é necessário aplicar duas ou três vezes, assim a efetividade é garantida. A embalagem com 50ml custa em média R$ 52,00 e dura, se usar todos os dias, dois meses. É um excelente custo benefício. 

Outra marca queridinha de protetores é a Vichy. Desde a primeira vez que usei não consigo usar outra. A Idéal Soleil Hydra Soft possui agentes hidratantes e antioxidantes. Além de proteger a pele, essa solução hidrata por 8 horas, melhora a elasticidade da pele e previne o envelhecimento precoce. Percebi também, depois de quatro meses usando esse protetor, que ele possui um efeito “bronze”, mara, né? A embalagem com 200ml custa em média R$ 59,00 e dura, se usar todos os dias, quatro meses. Também é um excelente custo benefício. 

Cuidar da pele é necessário, não por questões estéticas, mas sim para prevenir doenças graves, como o câncer de pele. É um investimento a longo prazo e que, sinceramente, não sai caro. #DezembroLaranja, mas proteção e prevenção é o ano todo!

Ir para Post

Beleza

Antes de tudo: primer!

| 12 de novembro de 2019

Por Marina Marques

De uns tempos para cá, o uso do primer antes da maquiagem aumentou. O produto nada mais é do que uma base incolor que atenua linhas de expressão, suaviza marcas do rosto, reduz os poros, matifica peles oleosas, uniformiza tom da pele, e aumenta a duração dos produtos que podem ser aplicados depois. 

Mas como usá-lo? A gente te explica:

Antes de tudo, prepare a pele para receber a make: limpe, tonifique e hidrate (mesmo que não vá utilizar o primer, é sempre importante manter essa rotina!). Feito isso, aplique o primer: com um pincel ou com os dedos, espalhe-o bem por todo o rosto para cima e para fora, sem esfregar a pele. Em seguida, deixe secar alguns minutos antes de passar a base.

Para obter melhores resultados, é necessário se atentar ao tipo da sua pele e qual o melhor primer para ela. Escolha primers oil free caso sua pele seja oleosa, por exemplo. A cor também é um ponto de atenção, afinal, os primers com tonalizantes são perfeitos para uniformizar a pele. 

O primer verde é recomendado para quem tem rosácea ou pele avermelhada. O roxo serve para neutralizar subtons amarelos, tanto asiáticos como a mistura de etnias brasileiras. O laranja é para peles mais escuras.

Separamos algumas sugestões acessíveis de primers:

Avon Color Trend Primer R$14,99

Primer Facial Studio Perfect – Ruby Rose R$18,50

Primer HD – Max Love R$10,90

Primer Fluido Vult Facial R$17,90

Ir para Post

Beleza

Skincare: o queridinho do momento

| 10 de novembro de 2019

Por Amanda Nascimento

Não é difícil encontrar nas redes sociais dicas para cuidar da saúde, e recentemente, os cuidados com a pele caíram no gosto das influenciadoras digitais. O cuidado com o rosto não é algo novo, mas a utilização de diferentes tipos de esponjas impulsionou o que muitas chamam de skincare, que em português nada mais é que cuidados com a pele.

Conhecida como Foreo, a esponja de limpeza facial elétrica caiu no gosto das influenciadoras e provocou a multiplicação de conteúdos voltados à rotina de cuidados com o rosto. Com diferentes níveis de pulsação, o produto promete propiciar uma limpeza profunda e, até mesmo, auxiliar no controle da oleosidade facial. Em diferentes cores e tamanhos, pode chegar a custar mil reais no Brasil. Diante do alto preço da esponja, diversas opções foram lançadas para quem quer investir em uma limpeza de pele mais profunda ou massagear o rosto. Assim, marcas brasileiras começaram a produzir alternativas ao alto preço da Foreo e as suas versões do mercado clandestino.

A Octopus Sponge da marca Océane é uma dessas alternativas acessíveis. O nome remete ao formato bem parecido com o de um polvo, que apresenta duas utilidades: limpeza e massagem facial. O produto promete uma melhor circulação por meio da massagem, além de esfoliar a pele promovendo a remoção de células mortas, resíduos de maquiagem e até auxiliar na remoção de cravos. A réplica de um polvo cor de rosa em silicone é formada por duas partes: na parte superior, há pequenas cerdas de silicone para limpar os poros e a parte inferior te, cerdas mais firmes e maiores para massagear o rosto. Além disso, a parte interna é composta por uma esponja preta removível.

Para proporcionar a higienização do rosto, deve-se escolher um sabonete líquido ou gel de limpeza que deverá ser colocado na parte inferior da esponja após ser umedecida com água. Antes de iniciar a limpeza, é preciso pressionar algumas vezes para que o produto de limpeza seja transferido para a parte de cima, assim será formada uma espuma pronta para ser aplicada no rosto com movimentos circulares. A esponja é simples de usar e tem como diferencial a transformação do sabonete líquido em espuma, o que deixa a pele macia, além de reduzir a quantidade de produto a ser utilizada.

A limpeza facial é questionável. Os resíduos de maquiagem e o relaxamento são cumpridos e ótimos benefícios, mas não é possível sentir diferença na quantidade de cravos ou na redução das células mortas, já que não se trata de uma esponja elétrica que pulsa. Dessa forma, a sensação é de uma limpeza mais superficial.

Os filetes de silicone para massagear são a melhor parte do produto. Com a aplicação de um creme, as macias e firmes bolinhas de silicone permitem uma sensação de carinho na pele, embora pudessem ser menores para alcançar as partes mais delicadas do rosto, como as laterais do nariz e a região próxima aos olhos.

Vale a pena comprar?

O preço acessível, algo em torno de 26 reais, é um grande atrativo, visto que a Foreo possui um preço mais elevado. Além disso, possibilita adquirir um produto de qualidade conhecida, sendo assim uma opção a mais além das esponjas falsificadas de material duvidoso.

Por não proporcionar uma limpeza tão profunda é possível usar a esponja todos os dias sem o risco de ressecamento da pele. O fato de não ser elétrica permite utilizá-la no banho que, aliás, é uma ótima técnica, pois com os poros dilatados pela água quente, a limpeza parece ser mais eficaz.

É importante ressaltar que a higiene da esponja é muito importante para evitar a proliferação de microrganismos. Após a utilização, é necessário retirar o produto aplicado e a esponja interna para que possam secar completamente.

Por fim, a Octopus Sponge é uma ótima ajuda para se livrar daqueles resquícios de maquiagem que insistem em ficar na pele e para quem é adepto a massagem facial. Além disso, o fato de não ser elétrica permite que ela esteja sempre pronta para ser utilizada, assim pode ser uma ótima opção para quem quer uma rotina de cuidados com a pele mais prática.

Ir para Post