3 maquiagens da Kylie Jenner para se inspirar

Continue lendo

Bruxelas, o coração da Europa

Continue lendo

Quais blogs eu ainda acompanho?

Continue lendo

Como entrei de graça nos pontos turísticos de Paris

Continue lendo
Beleza

3 maquiagens da Kylie Jenner para se inspirar

| 20 de agosto de 2019

Eu acho que mais do que ser empreendedora & bilionária & famosa & mãe & influenciadora & a mais rica do clã Kardashian, a Kylie Jenner é uma ótima maquiadora! Não é sempre que ela compartilha o passo a passo em suas redes, mas quando o faz, dá pra perceber como ela tem várias técnicas e dicas que a gente pode aprender. 

Aqui, trago três maquiagens da Kylie que eu adoro e me inspiro direto! São básicas e você com certeza consegue fazer por aí 🙂

Dentre as três maquiagens, essa é a minha favorita. Como uma boa apaixonada por batons vibrantes, de cara já gosto do bocão vermelho-cereja. O delineado gatinho apenas na pontinha dos olhos deixou o visual mais delicado e o iluminador no nariz completa a make sem pesar. É versátil, bonita e eu facilmente iria do trabalho à balada com essa combinação.

Já tem uns meses que a Kylie surgiu com essa makeup trick que me atraiu de primeira. Ela aplica sombra colorida apenas no canto interno dos olhos, tanto na parte superior, quanto inferior. Eu achei a ideia incrível e nunca tinha pensado em fazer isso! É um truque ótimo se você quer começar a se arriscar com cores mais vibrantes nos olhos, mas de um jeito mais discreto.

Para completar, separei uma maquiagem com menos cor. Em dias que não queremos nada elaborado, o olho marronzinho é aposta certeira. A Kylie usa um marrom um pouco acima do seu tom de pele e marca a pálpebra. Para deixar o olhar mais vivo, faz um leve iluminado abaixo da sobrancelha e no canto interno dos olhos. Por fim, fecha o look com um delineado bem fraco, provavelmente feito com lápis marrom e esfumado. Fácil de fazer para qualquer ocasião!

Clique aqui e leia mais sobre BELEZA!

Ir para Post

Viagens

Bruxelas, o coração da Europa

| 16 de agosto de 2019

Fomos conhecer Bruxelas com altas expectativas; afinal, estamos falando da cidade que é conhecida como o coração da Europa, isso porque é a capital da União Europeia e um importante centro da política internacional.

A verdade é que Bruxelas é uma cidade pequena e com poucos pontos turísticos, podendo ser facilmente visitada em apenas um dia. Uma possibilidade é dormir em Bruxelas por duas noites, assim em um dia você conhece a cidade, e no outro vai para Gante e Bruges – cidades que ganharão um post só delas de tão fofinhas 🙂

Aqui, indico os passeios mais legais para fazer se você tiver um dia para conhecer Bruxelas:

A Galeries Royales Saint-Hubert, criada em 1847, foi o primeiro centro comercial de Bruxelas. Até hoje é repleta de lojas com vitrines lindas, além de restaurantes e cafés clássicos. 

Basta andar um pouco por ela que você desemboca na Grote Markt ou Grand Place, a praça central da cidade. Como estivemos por lá no período das festas de fim de ano, estava tudo decorado com árvores de Natal, luzes e enfeites. Se você for na mesma época, vale a pena ver o show de música e luzes que deixa a praça lindíssima e iluminada!

O ponto turístico mais famoso de Bruxelas talvez seja o Manneken Pis, que nada mais é do que uma estátua retratando um menino fazendo xixi e que solta água, como se fosse uma fonte. Sim, só isso: bem pequena e em uma esquina normal da cidade, mas acabou se tornando símbolo de Bruxelas.

Se você vai visitar Bruxelas na primavera ou no verão, o Mont des Arts pode ser um passeio bem legal. É uma parte alta com vista para a cidade, onde estão localizados a Biblioteca Real da Bélgica, o Arquivo Nacional da Bélgica e um jardim público. Como fomos no inverno, o jardim estava bem ralinho, por isso acredito que no verão seja lindo! Além disso, por ser uma parte superior da cidade, deve render um pôr-do-sol lindíssimo.

Vamos para a parte mais interessante: comidas! Bruxelas tem vários pratos típicos e é claro que nós provamos todos! Começamos com o carbonades, uma espécie de carne de panela com molho de cerveja. Ela acompanha batatas fritas, outra coisa super típica da Bélgica e que você encontra em qualquer carrinho de rua! 

Agora, verdade seja dita: você não pode pisar na Bélgica e não provar os tradicionais waffles. Se possível, coma vários! Em cada cidade, barraquinha, restaurante, o que seja! Nós provamos com várias coberturas diferentes, mas meu favorito é com morango, nutella e chantilly – tem como essa combinação dar errado?

Como mencionei no início do post, Bruxelas é uma cidade mais importante do que necessariamente turística, mas vale incluir no seu roteiro caso tenha alguns dias pela Bélgica. Se você já foi pra lá, comente aqui qual ponto turístico acha indispensável 🙂

Ir para Post

Comportamento

Quais blogs eu ainda acompanho?

| 12 de agosto de 2019

Já tem alguns meses que deixaram essa sugestão em um comentário aqui no blog e enfim resolvi responder a pergunta.

Quais blogs eu ainda acompanho? Ou eu nem acompanho mais blogs?

Em tempos de Instagram, YouTube e tantas outras redes sociais tão dinâmicas, muitos blogs perderam seu espaço ou migraram para novas plataformas em busca de público. Eu não apenas vi isso tudo acontecer como também participei do “movimento”. Quando comecei a produzir conteúdo digital no fim de 2010, os blogs faziam um tremendo sucesso. O YouTube passou a ganhar seu espaço e atrair muitos produtores, além de oferecer novas opções de renda. Até que o Instagram explodiu e fez tudo quanto é conta virar influencer. Não precisa produzir conteúdo – basta ter um estilo legal, fazer fotos interessantes e postar coisas instagramáveis para ganhar seu micro espaço em um turbilhão de contas por aí. 

Com tanta informação disponível, a centralização foi quase que total para a rede social, e não mais para o www que carrega esse conteúdo. E em terra de diversidade de mídia, é rei quem tem seu próprio domínio e não depende do Mark Zuckerberg para dar seus pulos. Percebi isso depois de muito tempo na internet e com a ajuda de um podcast da Thereza Chammas, do blog Fashionismo – falaremos mais sobre ele adiante rs. Hoje sei valorizar cada vez mais o meu próprio espaço nesse universo cibernético e ressalto aqui outras inspirações que vale a pena acompanhar. São blogs que não apenas sobrevivem na rede, mas conquistam cada vez mais credibilidade e, claro, cliques. Boa leitura!

Minha indicação principal é o Fashionismo. Não tem como falar em blog e não mencionar esse que foi um dos primeiros que passei a acompanhar há quase dez anos! Se eu tenho tempo apenas para um blog, é nele que entro. A Thereza é impecável na escrita e tem um blog super diversificado, que transita de moda a vinhos, decoração a seriados! Me vejo lendo textos sobre assuntos que jamais pensei que teria interesse. Acredito que essa seja a maior qualidade de uma blogueira que sabe engajar com seus leitores e tem propriedade para falar sobre um assunto. Aproveito pra destacar também os podcasts do Fashionismo para ouvir, que a Thereza acertou a mão total! É o único podcast que eu entro toda semana e não deixo de ouvir um episódio. Sou fã!

Quis dar essa ênfase no Fashionismo porque é realmente o blog que mais gosto de acompanhar, mas além dele, tem outros três que entro esporadicamente e estão na lista dos favoritos:

Chata de Galocha

Dia de Beauté

Carpe Mundi

Dei várias voltas no assunto para concluir que o blog segue com seu espaço e relevância no meio digital! E se você, assim como eu, não dispensa uma boa leitura de blogs dedicados na produção de conteúdo de qualidade, me indica aqui nos comentários quais são os seus favoritos!

Ir para Post

Viagens

Como entrei de graça nos pontos turísticos de Paris

| 8 de agosto de 2019

Quando fazemos um planejamento antes de viajar, é comum estimar gastos com pontos turísticos da cidade – entradas de museus, parques e atrações gerais. Mas e se eu te disser que, pelo menos em Paris, eu consegui fazer todos eles de graça? Vou explicar.

Vários pontos turísticos não somente de Paris, mas de toda a França, são gratuitos para menores de 18 anos e para jovens entre 18 e 25 anos residentes da União Europeia. Como eu tenho cidadania e passaporte espanhol, consegui acessar várias atrações gratuitamente apenas apresentando meu passaporte. Lugares como o Museu do Louvre, Palácio de Versailles e Arco do Triunfo permitem a entrada gratuita com o documento. Já a Torre Eiffel, por exemplo, não aceita e você precisa pagar se quiser subi-la – o que eu particularmente acho desnecessário e expliquei o por que aqui.

Ok, eu sou maior de 26 anos ou não tenho cidadania europeia. O que posso fazer para economizar nos pontos turísticos de Paris?”

A primeira dica é checar a programação dos lugares. Aqui em São Paulo, o MASP tem entrada gratuita todas as terças-feiras. Vários museus da Europa fazem o mesmo – o ingresso para o Louvre sai de graça no primeiro sábado do mês, por exemplo! Entre no site oficial de cada atração e tente conciliar com o roteiro da sua viagem, mas levando em conta que a entrada gratuita pode fazer com que o local receba mais visitantes. 

Outra possibilidade para economizar em Paris é comprar o Paris Museum Pass, um passe que dá acesso a mais de 50 museus e monumentos da cidade luz. O valor do ticket depende da quantidade de dias que você irá utilizá-lo – dois dias, por exemplo, sai por 48 euros. Há também os tickets para quatro e seis dias, respectivamente 62 e 74 euros. Outra grande vantagem de usar o passe é que você não precisa enfrentar as enormes filas de bilheteria! Nós compramos dois (um para meu pai e um para minha mãe) no próprio aeroporto de Paris, mas você consegue ver outros pontos de venda no site oficial: www.parismuseumpass.com

Clique aqui e leia mais dicas de Paris!

Ir para Post

Comportamento

Diário de TCC #2: Não vou mais aparecer?

| 4 de agosto de 2019

O segundo diário de TCC traz uma atualização importante sobre o formato do meu projeto e novidades de gravações! Foco na missão 😛

Clique aqui para assistir outros vídeos do canal!

Ir para Post